Artigo

GÁS E PETRÓLEO DE XISTO

20 MAI2014

Crédito ao Escritor Luis Dufaur (13 MAI2014)
ARTIGO – AMBIENTALISMO

O jornal “Washington Post” apontou que “a mais moderna arma da Europa” contra a agressividade do presidente russo Vladimir Putin jaz enterrado sob os belos pastos de pitorescas aldeias

Trata-se do gás e do petróleo de xisto – ou shale gás – que a Europa possui em quantidades suficientes para livrar-se das chantagens da “nova URSS”.

Agora, muitas vozes européias nos setores conservadores aumentam de volume pedindo essa arma pacífica. O premier inglês David Cameron somou-se a esse coro.

Mas não se extrai esses combustíveis da noite para o dia. Por que não o fizeram antes?

A Polônia depende de modo angustiante dos combustíveis russos, mas detém uma das maiores reserva de gás de xisto da Europa. A França já foi qualificada de Qatar do gás europeu, mas tampouco extrai e depende do gás árabe.

Os volumes de gás na Grã-Bretanha estão sendo comparados aos da Dakota do Norte (EUA), segundo o mesmo “Washington Post”. As reservas européias mensuradas são apenas menores que as do EUA. Estas, sim, vêm sendo exploradas e estão mudando o jogo planetário dos recursos energéticos.

O potencial é enorme. O recurso é muito grande no Reino Unido e na Europa”, diz Francis Egan, diretor-chefe de uma das maiores firmas especializadas no fracking, técnica para a exploração desse recurso.

O fato é que uma campanha pertinaz do ambientalismo radical, sonolentamente acompanhada pela opinião pública, mas com forte apoio nos meios políticos oficiais, até o presente bloqueou qualquer aproveitamento sério desse maná energético e deixou a Europa de joelhos diante da ameaça russa e da instabilidade árabe.

Na Europa e também nos EUA, a bem paga militância ambientalista aprontou slogans, filmes e material propagandístico para assustar os habitantes das regiões onde se pode tirar o gás de xisto.

O ambientalismo insiste nas “energias renováveis”, mas seu discurso fica incompreensível quando se constata que não há ainda tecnologia que torne esses recursos substitutos viáveis das energias convencionais.

O governo alemão estaria considerando a possibilidade de construir imensos portos para receber o gás liquefeito dos EUA, e ainda outras medidas caríssimas. Mas não age como um governo de fato soberano, pois depende da longa manus ambientalista que serve aos interesses de Moscou.


Fazer download do artigo

Outros artigos

O TABÚ DOS 05 DÍGITOSSLAVIERO & SLIM CORAGEM AO INVESTIRCOMO PENSAR O SINDICATO - TRADE UNION.PARA QUE SERVE A TRADE UNION - O SINDICATO?SALÁRIOS UMA QUESTÃO FINANCEIRA OU ECONÔMICA?COLETA SELETIVAA AGONIA DOS RECIFES DE CORAISPROBLEMATIZAÇÃO NA EDUCAÇÃO E APRENDIZAGEM DO JOVEM E ADULTO